Afinal… o Gerente de Projetos deve “Gerenciar ou Liderar” ?

Em definições gerais e resumidas, “A gerencia se preocupa DIRETAMENTE com o RESULTADO do trabalho na qual é responsável, através do controle efetivo de recursos como pessoas, dinheiro e etc. A liderança se preocupa DIRETAMENTE com as PESSOAS, desenvolvendo e COMUNICANDO uma visão de futuro através da motivação dos indivíduos, obtendo deles seu comprometimento para a obtenção do RESULTADO.”

Das duas breves definições apresentadas acima, qual delas se encaixa melhor quando o assunto é lidar com equipes (pessoas) em um Projetos ?

Em minha opinião, a resposta é: as duas !

Sim, as duas ! E não se trata de um mix das duas, ou seja, onde um pouco de cada aspecto seria o ideal para um gestor de projetos. Trata-se de duas características que um profissional de gerenciamento de projetos DEVE possuir. São essências que se completam e formam um diferencial de extremo valor para qualquer profissional de gerenciamento de projetos.

Mas infelizmente, o assunto Liderança é (e deve continuar sendo nos próximos tempos) um grande ponto a ser buscado e desenvolvido pela grande maioria dos profissionais do mercado. Mesmo com a considerável falta de gestores com este perfil, Liderança é um aspecto que para muitos seria o ponto mais importante a ser considerado na contratação de um profissional de gerenciamento de projetos. Ver link: https://projetizado.wordpress.com/2010/02/08/pesquisa-revela-que-lideranca-e-negociacao-sao-fundamentais-para-um-profissional-de-gerenciamento-de-projetos/

Para se ter uma idéia, infelizmente, mesmo os mais conceituados MBAs e cursos de especializações de gerenciamento de projetos ou não tem, ou são muito deficientes em promover disciplinas que conceituem, estimulem e desenvolvam os alunos nas habilidades de Liderança. Há quem diga que lideránça já nasce no DNA da pessoa. Eu discordo. Liderança pode ser aprendida e desenvolvida, mas isso é outro assunto !!!

Como professor de MBA, que convivo com dezenas de alunos desta disciplina, percebo a carência neste aspecto. Vejo a grande quantidade de profissionais que estão se preparando para alavancar passos maiores em suas carreiras, obtendo conhecimentos “técnicos” mais profundos, entendendo a importância da gestão de Riscos, Custos, Qualidade e outros aspectos fundamentais de gerenciamento de projetos, mas que no final ainda fica um “Gap” em relação a aspectos sobre Liderança que precisariam ser desenvolvidos e lapidados. Mas infelizmente o mundo acadêmico ainda não esta preparado para este suporte mais abrangente.

O objetivo deste Blog não é ensinar nada sobre Liderança (longe disso), mas sim alertar (mais uma vez) da importância do assunto.

Vale aqui mencionar uma afirmação de meu colega professor Farhad Abdollahyan, que comentou em meu Blog anterior sobre uma enquete que realizei sobre aspectos importantes a serem considerados para um profissional de gestão de projetos (ver link acima): “Palavras como Liderança e Negociação se tornaram moda e é martelado em palestras, artigos e publicações em geral.

Para finalizar , estou eu aqui martelando mais uma vez e espero que esta moda pegue na prática, ou seja, que a mesma inportância que se dá aos aspectos técnicos sobre projetos seja dada ao desenvolvimento das habilidades de Liderança e que aqueles que desejarem se destacar neste competitivo mercado de gerenciamento de projetos comecem também entender que para ter sucesso em projetos é necessário que se faça isso através de pessoas. E é neste ponto (pessoas), onde a Liderança se torna fator chave do sucesso, não só nos projetos, mas para qualquer segmento da vida.

Marcos Pires, PMP,  especialista em implementação e gestão de de Escritório de Projetos (PMO) Estratégicos. Gerente do Escritório de Projetos Corporativo da GPTI, professor dos cursos de MBA em Gestão de Projetos da FIAP e Anhembi Morumbi, instrutor de cursos preparatórios para certificação PMP, palestrante e colunista de jornais, revistas e sites sobre o tema gerenciamento de projetos.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado

Anúncios

3 Comentários

  1. Kauê Leonardo said,

    18/02/2010 às 03:46

    Concordo com tudo Sr. Marcos.
    Artigo excelente, muita gente precisa ler e refletir realmente, pois precisam “acordar” para essa realidade.
    Os bons Gerentes DEVEM ser bons Líderes. Os resultados surpreendentes e acima das expectativas só podem ser alcançados por equipes realmente motivadas e comprometidas. E para entender a motivação individual dos membros e obter uma boa dose de comprometimento, só um bom líder.

    Liderei uma equipe por praticamente 3 anos, onde o comprometimento, comunicação transparente, feedback e a importância dada a cada indivíduo conforme sua personalidade e habilidades, faziam parte de um ambiente de trabalho realmente motivador.

    Realmente, a liderança é um aspecto que pode ser desenvolvido e aprimorado, não é nada de DOM não. Aliás esse é o principal aspecto de aprendizado e desenvolvimento da liderança, que enfatizam a maioria dos considerados grandes líderes empresariais, tais como:
    – James Hunter (O Monge e o Executivo; e Liderança Servidora); e
    – Lorraine Grubbs (da Southwest Airlines, autora do livro: Como transformar sua equipe no seu maior patrimônio)

    Em sua pesquisa, votei justamente no item de Liderança. O resultado demonstra que é um item cada vez mais importante e difícil de ser conseguido por aqueles que insistem nos velhos padrões.

  2. 20/02/2010 às 16:08

    Olá Marcos,

    A discussão é muito pertinente, principalmente no destaque a habilidade de liderança que não é facilmente adquirida e, muitas vezes mas não unicamente, vem de berço. Liderança tem por atributo a autoridade como conquista, o que é muito diferente do poder da posição. Gerenciar é inerente ao cargo, todos os gerentes devem gerenciar por formação e responsabilidade, no entanto nem sempre o gerenciamento é conduzido com liderança. Concordo com a afirmação que os dois fundamentos devem ser conduzidos juntos para o sucesso, sem nenhuma dúvida.

  3. 26/02/2010 às 17:20

    O Gerente de Projetos deve liderar, por último gerenciar.

    Entre esses dois pólos: comunicar, administrar conflitos e negociar o escopo de acordo com prazos, custos e qualidade (alinhados a estratégia da organização). Talvez com algum conhecimento na área do projeto.

    Liderar é catalizar o trabalho em equipe, é incluir também a alta adm. Não é mandar.

    A ânsia da alta adm. em gerar resultados, em cumprir metas para ontem! (leia-se para atender o bônus deles – vide última crise financeira global) podem deixar de lado:
    Os riscos negativos de imagem em produtos e serviços mal feitos, perdendo mercado a médio e longo prazo;
    A qualidade de vida dos colaboradores no excesso de pressão por resultados no curto prazo, que poderá implicar em “turn-over”, ou seja, na perda de profissionais qualificados, os ativos de conhecimento e experiência;
    O re-trabalho por não permitir um tempo para um planejamento adequado (“ah! pega os meninos e meninas ai e vai fazendo, a gente decide no caminho” – já ouviram isso?);
    As solicitações de mudanças no meio do projeto que são declaradas como óbvias;
    Os orçamentos disponíveis e prazos incompatíveis com o escopo.

    Como falou o Ricardo Vargas, PMP (Ex- Chair PMI): “Precisamos gerir projetos com mais responsabilidade social”.

    Desculpe-me o “blá-blá-blá”, mas na vida corporativa está faltando líderes para discutir objetivos mais SMART (Specific, Measurable, Attainable (achievable), and set realistic Time).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: