Escritório de Projetos como fator chave para sucesso em Projetos

 2010 promete ser um grande ano para os profissionais de gerenciamento de projetos. Copa do mundo, olimpíadas, fusões e aquisições e a grande quantidade de investimentos internacionais previstos para entrar no Brasil deve provocar uma grande onda de demandas de empreendimentos em projetos em todos os setores como industrias, serviços e etc.

Neste cenário promissor, não há dúvidas que o aquecimento nas oportunidades para gerentes de projetos deve aumentar significativamente, onde certamente os profissionais bem preparados com formação, certificações, experiência no contexto técnico e gerencial estarão super procurados e valorizados no mercado.

Mas um “setor relativamente novo” neste cenário terá também grande destaque e atenção neste cenário: Os Escritórios de Projetos. Também muito conhecidos no Brasil como PMO (Project Management Office), geralmente são definidos como unidades organizacionais instituídas para atuar exclusivamente em ambientes de projetos, podendo ser responsáveis por diversas funções deste simplesmente atuações operacionais como centralizações e distribuições de informações dos projetos ou como funções mais estratégicas como desenvolvimento da maturidade em gerenciamento de projetos, co-gestão nos próprios Projetos, Programas e Portfólios com foco nos alinhamentos e objetivos organizacionais.

Na medida em que as organizações estão evoluindo seus níveis de entendimento da importância da gestão de projetos como fator relevante para o sucesso de seus empreendimentos, o interesse e investimentos em se estabelecer Escritórios de Projetos para apoiar, monitorar e desenvolver seus ambientes de projetos já se tornou evidente como fator chave e estratégico. Mesmo empresas não orientadas a projetos, as tipicamente funcionais como bancos, seguradoras e industrias já investem na implementação e desenvolvimento de escritório de projetos para acompanhar seus projetos internos e principa,mente seus fornecedores, visando principalmente garantir prazos, investimentos e minimizar riscos.

Já as empresas mais orientadas a projetos, o PMO se tornou uma estrutura (mesmo que mínima) obrigatória que inclusive muitas vezes, formalmente, aparece no desenho das estruturas organizacionais das empresas.  Nestes cenários de estruturas projetizadas, o PMO geralmente é responsável por definir e manter metodologias, processos e ferramentas para gestão de projetos, além de atuar como centro de excelência e suporte para equipes de projetos e principalmente, servir como elo entre as camadas executivas da organização e as áreas de projetos, visando garantir que os projetos sejam contemplados dentro dos prazos, custos e qualidade.

Outro fato que reflete esta realidade sobre escritórios de projetos, é a grande quantidade de oportunidades profissionais que estão surgindo para gerir estas áreas. Para comprovar basta entrar nos principais sites de empregos e digitar o texto “Gerente de PMO” em uma pesquisa por cargo, por exemplo.

Em um Blog futuro, tratarei o tema Profissional de Escritório de Projetos para termos uma idéia de qual o perfil, competências e habilidades básicas necessárias para um profissional que comanda ou atua nesta área.

Marcos Pires, PMP,  Gerente do Escritório de Projetos Corporativo (PMO) da GPTI, professor dos cursos de MBA em Gestão de Projetos da FIAP e Anhembi Morumbi, instrutor de preparatórios para certificação PMP, palestrante e colunista de jornais, revistas e sites sobre o tema gerenciamento de projetos.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado

Anúncios