Quanto se esta pagando para gerentes de projetos no mercado ?

Esta é uma das perguntas mais realizadas, principalmente quem esta querendo entrar no segmento de gerenciamento de projetos, quem esta a procura de uma nova oportunidade no mercado ou para aquele gerente que esta querendo pedir aumento para o chefe.

Mas a resposta não é tão simples, pois alguns fatores precisam ser considerados quando se trata de o quanto o mercado esta pagando para um gerente de projetos. Fatores como nível de especialização do profissional (MBA, PMP e carreira técnica anterior), segmentos de mercado (TI, Telecom e etc.), porte e complexidade de projetos e até mesmo aspectos regionais devem ser levados em conta quando se trata de valores de salários para gerentes de projetos.

Vamos pela ordem … o crescente aumento da especialização de profissionais, através da busca de cursos de MBA em gestão de projetos e certificações PMP é um reflexo que o mercado esta cada vez mais em busca destes especialistas, ou seja, a tendência de colocar “gerentes de projetos” sem bases, conceitos, habilidades e competências gerenciais para liderar projetos esta sendo muito considerada pelo mercado que começa a entender que ter profissionais especializados é a melhor forma de minimizar impactos negativos em projetos. E sem dúvida a especialização já é ponto de valorização principalmente salarial.

Porte e complexidade de projetos é outro fator quase sempre muito considerado quando se trata de remuneração salarial para gerentes de projetos, pois certamente profissionais que “tocam” projetos pequenos e simples como, por exemplo, a implementação de uma simples loja virtual ou um projeto de Intranet para ume pequena empresa tem valores menores que um gerente responsável por projetos de maior porte como por exemplo uma reestruturação tecnológica de uma grande empresa multinacional onde o projeto pode envolver ás vezes centenas de profissionais, fornecedores e etc.

Do ponto de vista regional, há sim uma realidade na qual sem dúvida os profissionais da região Sul e Sudeste do país possuem remunerações médias superiores ao restante do Brasil. São Paulo especificamente tem índices salariais razoavelmente mais elevados em relação aos demais estados.

Bom … indo para os finalmente … quanto o mercado esta pagando ?

Vou apresentar alguns números com base em algumas informações que tenho, mas minha referencia base é mercado de São Paulo e mais orientado para área de Tecnologia da Informação.

É muito comum na área de tecnologia a modalidade de contratação chamada “PJ” pessoa jurídica, onde o profissional é contratado como se fosse um prestador de serviço. A outra modalidade é o tradicional CLT, ou seja, funcionário “registrado” da organização.

Profissionais relativamente em inicio de carreira, com formação, conhecimento em processos e boa práticas de gestão, com domínio de ferramentas com MS Project e outros, estão recebendo na faixa 4 mil a 6 mil reais na modalidade CLT e de 6,5 e 7,5 mil reais na modalidade PJ.

Já os profissionais com uma certa bagagem em gerenciamento de projetos que possuam um diferencial como a certificação PMP já conseguem uma remuneração que podem variar para os CLTs entre 7 a 9 mil reais e para os PJs entre 8 e 11 mil reais.

Estes números são as médias para o mercado de Tecnologia da Informação, um pouco mais orientados para projetos de sistemas e software, onde as variações tanto para cima como para baixa também existem. Recentemente eu soube de oportunidades oferecidas por uma grande multinacional do segmento de serviços de tecnologia com oportunidades para gerente de projetos com valores em torno de 14 mil reais no modelo CLT, como também tenho informações de profissionais que estão no mercado em busca de recolocações que recebem propostas para receber 4 mil reais, com o detalhe de exigirem larga experiência e até mesmo certificação PMP.

Apenas como curiosidade, vale mencionar que o mercado americano pratica números entre 70 a 120 mil dólares por ano para gerentes de projetos da área de TI. Existe um site nos Estados Unidos (www.computerjobs.com) onde gosto muito consultar quais são as habilidades e competências que as empresas americanas buscam nos profissionais de gestão de projetos. Este site que apresenta oportunidades para todos os estados americanos costuma postar os salários oferecidos pela organização que oferece a oportunidade. Portanto, para que domina a arte de gerenciar projetos e com um inglês afinado, uma boa oportunidade seria ficar uma temporada na terra do PMI.

Marcos Pires, Gerente de escritório de projetos (PMO), professor para cursos de MBA em Gestão de Projetos e instrutor para cursos de certificação PMP.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado

PMI divulga números das certificações no Brasil

Por Marcos Pires, PMP

A publicação mensal da revista PM Today do último mês de Março do PMI (Project Management Institute) traz um grande destaque para o Brasil em relação ao crescimento na busca da maturidade em gerenciamento de projetos tanto por profissionais como também as organizações. A matéria enfoca principalmente o crescimento de certificações obtidas no país no último no ano de 2008. A surpresa segundo a matéria da revista é o significativo aumento da certificação CAPM (Certified Associate in Project Management), credencial voltada para profissionais que tem por objetivo conhecer os fundamentos do gerenciamento de projetos. Esta certificação (mais simples que o PMP) também tem como referencia base o livro PMBOK.

Segundo a PM Today, um grande movimento que se iniciou no ano passado através dos 13 Capítulos brasileiros do PMI foi a promoção de workshops e cursos voltados para a preparação para a certificação CAPM, onde somente no ano passado 51 profissionais obtiveram esta credencial. Número que pode parecer pequeno, mas se comparado aos anos anteriores o crescimento foi considerável.

Abaixo seguem os números de credenciais brasileiras segundo o PMI até o final do ano de 2008:

* Total de Credenciais:

PMP (Project Management Professional) = 7.258

CAPM (Certified Associate in Project Management) = 78

PgMP = (Program Management Professional) = 6

PMI-SP = (PMI Scheduling Professional) = 8

PMI-RMP (PMI Risk Management Professional) = 7

* Total de Credenciais obtidas somente no ano de 2008:

PMP (Project Management Professional) = 1.485

CAPM (Certified Associate in Project Management) = 51

PgMP = (Program Management Professional) = 4

PMI-SP = (PMI Scheduling Professional) =7

PMI-RMP (PMI Risk Management Professional) = 7

A surpresa negativa em minha opinião é o baixo número de certificados em gerenciamento de programas (PgMP), que atesta a especialidade do profissional em gerenciamento integrado de múltiplos projetos, mas creio que isso se deve ainda a fatores como o baixo grau de conhecimento e aplicabilidade do conceito de gerenciamento de programas nas organizações e principalmente do alto valor a ser investido nesta certificação (US$ 1.500,00 para associados do PMI).

A expectativa agora é em relação aos números de 2009, pois esta havendo uma grande procura principalmente neste primeiro semestre pela certificação PMP em função da mudança da versão do exame que a partir de Julho será aplicado com base na 4ª. Edição do PMBOK e pelo ritmo dos movimentos o Brasil poderá virar para o ano de 2010 com mais de 10.000 profissionais certificados em Project Management Professional.

Estamos evoluindo !!!


Marcos Pires, Gerente de escritório de projetos (PMO), professor para cursos de MBA em Gestão de Projetos e instrutor para cursos de certificação PMP.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado

Empresas despertam para a importância em ter especialistas e estruturas de Gestão de Projetos

Por Marcos Pires, PMP

Já é fato real para profissionais que coordenam, lideram e até mesmo participam de projetos a importância cada vez maior de adquirem competências e habilidades no campo de gerenciamento de projetos. Profissionais que atuam nesta área devem ficar atentos (para os que ainda não estão) a tais exigências, que naturalmente vem crescendo em grandes proporções nos últimos anos em função de um mercado cada vez mais competitivo neste segmento.

Um exemplo deste movimento pode ser medido pela explosão de turmas de MBAs em Gestão de Projetos que vem ocorrendo nos últimos anos. Na FIAP, Faculdade de Informática e Administração Paulista, somente entre os meses de março e abril deste ano cerca de cinco novas turmas de MBA em gerenciamento de projetos foram iniciadas, somando-se a pelo menos outras oito que estão em andamento. Reforçando esta realidade, há um grande grupo de profissionais em busca da certificação PMP, Project Management Professional, título internacionalmente reconhecido que atesta que o profissional possui fortes conhecimentos em processos e melhores práticas em gerenciamento de projetos.

MBAs em gerenciamento de projetos e certificações reconhecidas na área são, no momento, as principais opções que profissionais estão buscando para atender a um mercado cada vez mais competitivo nesta área, pois a demanda é puxada pelo crescente número de organizações que descobriam a real importância do gerenciamento de projetos para o sucesso de seus empreendimentos. Neste cenário, encontram-se as organizações não orientadas a projetos, pois estas também estão descobrindo os benefícios das boas praticas de gerenciamento de projetos em empreendimentos temporários como, por exemplo, programas internos de treinamentos realizados por áreas de RH, implementações de processos internos por uma área de Qualidade, mudanças físicas de escritórios por uma área de Controladoria, edição de jornal ou revista, além de qualquer outro empreendimento com início e fim bem definidos que possam ser tratados como projetos.

Com base nesta importante constatação, um movimento de estrutura organizacional começa a cada vez mais tomar força dentro das empresas: a importância dos escritórios de projetos. Também conhecido pela sua sigla em inglês PMO, de Project Management Office, o Escritório de Gerenciamento de Projetos consiste em uma área organizacional que centraliza e coordena as atividades relacionadas a projetos dentro da organização ou em alguma área da mesma.

As funções de um escritório de projetos podem variar de acordo com o grau de maturidade da empresa em relação ao contexto de projetos, como também dos objetivos, importância e grau de criticidade em relação aos seus empreendimentos. Um escritório de projetos pode exercer desde funções básicas como apoio na seleção de gerentes de projetos, estabelecimento de padrões de processos e documentos, treinamentos e suporte para gerentes e equipes de projetos, até mesmo atuar na co-gestão, monitoramento e controle dos projetos da organização.

A importância de se implantar um escritório de projetos também já se tornou realidade, principalmente nas grandes organizações não orientadas a projetos como bancos, seguradoras e outros segmentos da indústria, onde apesar de não serem realizadoras de projetos, demandam uma quantidade significativa destes empreendimentos para parceiros externos. Neste contexto, cabe ao escritório de projetos realizar o acompanhamento para garantir o alinhamento e sucesso dos projetos contratados para atender as necessidades estratégicas da companhia.

Por outro lado, o investimento em estruturas de gerenciamento de projetos em empresas que possuem como foco de sua sustentação a realização de projetos é explosivo. Um exemplo desta iniciativa é a empresa paulista HOLD Tecnologia da Informação, que atua fortemente no desenvolvimento de projetos para grandes clientes, principalmente para o segmento financeiro e de seguros. A empresa, que conta com uma equipe de aproximadamente oito gerentes que juntos lideram dezenas de projetos de desenvolvimento de software, possui um escritório de projetos que estruturou toda a área, provendo treinamentos, estabelecendo padrões, processos, metodologias, ferramentas e suporte com foco total no gerenciamento dos projetos de seus clientes, principalmente em pontos-chave que visam um maior índice de sucesso nos resultados finais dos projetos sempre tendo em vista o atendimento das necessidades, forte gestão de riscos, prazos e custos previstos e com níveis de qualidade satisfatórios.

Resumindo, o gerenciamento de projeto não é nenhuma novidade, pois tais práticas são realizadas há centenas de anos, desde as construções das mega pirâmides, por exemplo. Porém é agora, nos tempos modernos e de alta competitividade com foco em resultados dentro de custos, prazos e qualidade, que as organizações, através de seus profissionais de projetos, necessitam cada vez mais serem competentes no gerenciamento de projetos.

Marcos Pires, Gerente de escritório de projetos (PMO), professor para cursos de MBA em Gestão de Projetos e instrutor para cursos de certificação PMP.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado

Gestão de Projetos, Einstein e a crise

Por Marcos Pires, PMP

Certamente são nos momentos de crise que a gestão de projetos se torna mais evidente e, por conseqüência, desperta cada vez mais importância como fator-chave de competitividade para organizações e profissionais.

Pode parecer estranha uma afirmativa dessa quando estamos nos deparando com inúmeras empresas reduzindo pessoas, investimentos e, obviamente, seus projetos. Mas há também uma realidade um pouco diferente neste contexto, uma realidade que principalmente em momentos de crise é totalmente exigida pelo mercado: competências em gerenciamento de projetos.

Há algumas décadas Albert Einstein, físico alemão muito conhecido por desenvolver a teoria da relatividade, realizou algumas declarações a respeito do que ele pensava sobre crise. Uma delas foi que “a crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos”. O que isso tem a ver com gerenciamento de projetos? A resposta é: tudo, pois gerenciamento de projetos traz progresso em muitos aspectos e o mercado (empresas e profissionais) sabe disso.

Tenho percebido, principalmente após o início da crise, uma grande movimentação do mercado em busca de competências e maturidade em gerenciamento de projetos. Organizações estão agora tendo um maior cuidado para gerir seus portfólios de projetos, analisando quais os empreendimentos-chave a serem viabilizados e que estejam de acordo com as metas estratégicas da empresa. Mas não é só isso. Realizar os projetos de forma correta, como foco na gestão financeira, gerenciando riscos nos projetos e, principalmente, o envolvimento de profissionais bem qualificados é agora mais que nunca o principal foco das organizações quando se trata da realização de projetos.

E, para garantir estes objetivos, o gerenciamento eficaz de projetos através de profissionais com habilidade e competências em gestão com bons conhecimentos em processos, melhores práticas e ferramentas de apoio a todo o contexto da gestão tornam-se fatores decisivos para um expressivo aumento nas chances de sucesso na conclusão de projetos. Devemos lembrar que sucesso em projetos pode ser considerado como atendimento ao objetivo do projeto do ponto de vista do escopo sendo realizado, dentro dos custos previstos, além também de outros aspectos importantes como desenvolvimento de equipe, baixo nível de stress, base de conhecimento etc.

Um grande exemplo deste movimento rumo à busca de competências em gerenciamento de projetos são as empresas que não possuem estruturas projetizadas e que estão fortemente começando a investir na montagem de escritório de projetos (os chamados PMOs) com o objetivo de oferecer suporte e acompanhamento aos projetos do portfólio da organização, garantido assim uma maior probabilidade de sucesso na realização dos empreendimentos.

Do ponto de vista profissional, há cada vez mais um aumento na procura por cursos de MBAs em gestão de projetos no Brasil, como também no interesse na obtenção do certificado Project Manager Professional (PMP) por profissionais que já atuam em gerenciamento de projetos e desejam uma certificação reconhecida internacionalmente, fornecido pela principal instituição mundial para referências em gestão de projetos, o PMI (Project Management Institute). Segundo números divulgados recentemente, no Brasil há aproximadamente 5 mil PMPs, número considerado pequeno diante das necessidades e demandas de um país com um grande potencial de crescimento como o Brasil.

E é neste movimento de empresas, profissionais e mercado que lembramos outra frase de Einstein: “a verdadeira crise é a crise da incompetência”, ou seja, devemos sempre buscar as competências necessárias para superar crises e, sem dúvida, competência em gerenciamento de projetos torna-se uma opção de solução em busca do crescimento, maturidade, desafios e prosperidade.

Para finalizar este artigo apresento uma última frase do magnífico Albert Einstein: “acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la”.

Marcos Pires, Gerente de escritório de projetos (PMO), professor para cursos de MBA em Gestão de Projetos e instrutor para cursos de certificação PMP.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado