Líder de Projeto, Coordenador de Projeto, Gerente de Projeto, … Esclarecendo cada Função !

Há uma grande confusão no mercado em relação aos cargos para profissionais de projetos, pois é muito comum vermos anúncios de oportunidades para Coordenadores de Projetos que exigem especialização acadêmica, certificação PMP e grande experiência em projetos. Como também vagas para Gerentes de Projetos onde é crucial que o profissional tenha grande capacidade para exercer funções técnicas, como por exemplo, de programação de software. Estes são apenas dois exemplos superficiais de como muita gente, principalmente o mercado está um pouco confuso não só em relação a definição do nome do cargo, mas principalmente das funções a serem exercidas pelos profissionais.

Um dos grandes motivadores para esta confusão toda é que não há uma definição oficial, formalmente reconhecida em relação aos cargos para profissionais de gerenciamento de projetos para o mercado como um todo, até mesmo porque o cargo de Gerente de Projetos é relativamente novo, pelo menos no Brasil, onde há alguns anos atrás “a nomenclatura” não era utilizada como nos dias de hoje.

Bom … vamos ao foco do assunto !!!

A idéia aqui é esclarecer um pouco as diferentes funções para cada cargo que envolve o nome Projetos:

Coordenador de Projeto: Este profissional, onde é muito comum atuar em dois tipos  diferentes de contextos. O primeiro e mais freqüente é quando este profissional atua como o próprio nome diz, na coordenação de uma área ou frente importante dentro de um projeto de porte geralmente de médio para grande. É muito comum nestes projetos que haja coordenadores responsáveis por alguma “parte”, como por exemplo, pela fase de construção (programação) em  projeto de desenvolvimento de software, pois é na fase de execução que geralmente há um grande esforço do projeto e o papel de um coordenador se torna indispensável, pois tal função as vezes poderia não ser exercida pelo gerente do projeto por diversos fatores tais como tempo de envolvimento direto ou mesmo estar gerenciando outros projetos. Muitas vezes a falta de um conhecimento profundamente técnico do gerente de projetos justifica a presença de um Coordenador.

Para os casos de projetos de software, o papel do Coordenador de Projetos pode ser muito amplo, podendo ir deste o entendimento de requisitos, validações técnicas, distribuição e validação das demandas de trabalho e até mesmo (em muitos casos), colocar a mão na massa, ou seja, realizar também a programação.

É importante mencionar, que para esta função, o foco do Coordenador é mais voltado para as questões técnicas ou mesmo de negócio (escopo) do Projeto. Em algumas estruturas este profissional é chamando inclusive de Coordenador ou Líder técnico, pois geralmente o profissional que ocupa esta função tem como principal característica a sua expertise técnica.

Se o foco deste profissional é técnico, entende-se que a questão da gestão não deveria ser atribuída na sua totalidade para ele, pois só a questão técnica em muitas vezes toma toda a atenção e tempo do Coordenador. É comum que este profissional tenha uma interatividade muito grande com o Gerente do Projeto, no sentido de lhe fornecer todos os dados pertinentes para que o Gestor do Projeto possa realizar os controles da entregas do projeto, além dos custos, riscos, comunicações e etc.

Há um outro contexto que a figura do Coordenador de Projetos aparece. Nas estruturas matriciais, principalmente as equilibradas ou fracas, onde a responsabilidade do projeto geralmente recaí em um gerente funcional para a qual o Coordenador de Projetos hierarquicamente responde.

Apenas como curiosidade, hoje a grande maioria dos alunos que buscam os cursos de especialização (MBA) em gerenciamento de projetos são exatamente profissionais com este perfil e nestas situações profissionais.

Líder de Projetos: Este é um profissional de gestão ! A diferença para o mercado é que o tal Líder atua em contextos menores, ou seja, projetos de pequeno porte, com escopo, orçamentos e equipes de pequeno porte, mas que a gestão (como para qualquer projeto) é essencial. Muitas vezes nestas situações um pouco mais simples é comum ver o Líder de Projeto envolvido em questões técnicas, mas nunca deixando o foco do gerenciamento (principalmente escopo, tempo, custos e qualidade) de lado. Este envolvimento técnico é possível geralmente pelo pouco tempo gasto no gerenciamento, principalmente quando um plano de projeto é bem elaborado, a execução tem poucos desvios e também a quantidade de projetos sob gestão do Líder é baixa.

Para o Líder de Projetos, o perfil ideal que o mercado busca é o profissional que tenha uma boa bagagem técnica e principalmente visão de processos, técnicas e boas práticas de gerenciamento de projetos.

Gerente de Projetos: Profissional integralmente responsável pelo empreendimento que gerencia. Ou seja, responsável pelo escopo, custos, riscos, qualidade e pela equipe. É o ponto focal de clientes, áreas usuárias e fornecedores, além do efetivo gerenciamento  adequado da comunicação junto a todas as partes interessadas do Projeto.

Este é o profissional que tem como objetivo final entregar o produto ou serviço resultante do projeto conforme as expectativas acordadas (principalmente as restrições), satisfazendo o cliente final, patrocinadores e equipes.

O perfil exigido para um Gerente de Projetos hoje no mercado é de um profissional com experiência em sua área de atuação (desenvolvimento de software, infraestrutura, construção civil), vivência em gerenciamento de projetos, domínio de técnicas, processos e ferramentas de gerenciamento e preferencialmente com uma especialização na área de projetos (MBA) e ou uma certificação internacional como o PMP.

Para finalizar, é bom lembrar que as variações de nomenclaturas e funções em geral (para quaisquer cargos) podem estar vinculadas aos aspectos políticos, culturais e estruturais de cada Organização. A idéia aqui foi passar uma visão do lado generalista do mercado. Portanto as definições acima não são uma regra.

Marcos Pires, PMP,  Gerente de escritório de projetos (PMO), professor para cursos de MBA em Gestão de Projetos, instrutor para cursos de certificação PMP e colunista para jornais, revistas e sites sobre o tema gerenciamento de projetos.

Email:  marcos.pires.2000@bol.com.br

Perfilhttp://www.linkedin.com/in/marcospiresgp

Twitter: http://www.twitter.com/projetizado

About these ads

10 Comentários

  1. Marcantonio Fabra said,

    10/07/2009 at 21:21

    E complementando o excelente texto do Marcos. Ainda existe o especialista em gerenciamento de projetos geralmente para profissionais que irão trabalhar em um PMO nível 1 ou 2 dando apoio aos gerentes de projetos de uma organização.

    E ainda tem aquelas empresas que querem o 3 em 1, ou seja, que o profissional atue nas tres frentes ganhando o salário de apenas uma. Tomem cuidado com estas armadilhas do mercado.

    Abraços,
    Prof. Marcantonio Fabra, MSc, PMP

  2. 10/07/2009 at 23:42

    Marcos,

    Excelente colocações em geral, mas não para por aí. Entendo que aqui o foco está para gerente de projetos em empresas de prestaçõa de serviços. Nas empresas contratantes tambem existe uma confusão quanto ao cargo de Gerente de Projetos. Neste casos, são geralmente os reponsáveis dentro dos businesses pelo delivered dos projetos e lideram um ^steering team para execução que gerelmente comporta um Engenheiro de Projeto, que na verdade é a pessoa comparável à função de Gerente de Projetos nas prestadoras de serviço.

    abraços
    Fernando

  3. Sérgio Ferraz said,

    12/07/2009 at 14:51

    Grande Marcão!!! A qualidade dos seus textos está cada vez melhor!!!

    O líder técnico em desenvolvimento de software muitas vezes também é conhecido como arquiteto. Também é como ao líder técnico acompanhar o gerente de projetos em visitas ao cliente (ao área usuária) tanto para tomadas de decisões conjuntas como para transmitir segurança aos stakeholders. Esta é mais uma atividade que toma tempo deste profissional que em geral está sempre sobre carregado de atividades.

    Abs

  4. Aluísio de Oliveira said,

    13/07/2009 at 13:57

    Quando se trata de nomes de cargos sempre há muita confusão. Muitas vezes, não só em estruturas funcionais, não se “é” gerente de projetos, se “está” gerente de projeto. E aí há uma questão conceitual do que é cargo e o que é função que daria tema para uma outra discussão.
    Há também que se considerar a questão cultural das organizações. Em algumas, o termo “gerente” é sagrado, e atribuí-lo a alguém que está tratando de uma iniciativa temporária, daria uma conotação de “poder” que não se deseja nessas instituições. E aí os termos “coordenador”, “líder” e outros são usados sem critério algum.
    Um abraço,
    Aluísio

  5. Reginaldo said,

    13/07/2009 at 17:52

    Parabéns!!!, nota 10 !!!,

    Um grande abraço,
    Reginaldo

  6. 14/07/2009 at 14:42

    Marcos, suas pautas são sempre interessantes, parabéns.

    Abc

    Ercilia Vianna
    evianna@grupofoco.com.br

  7. Frey Alencar said,

    16/07/2009 at 13:17

    Marcos, abaixo minha opinião pessoal:

    Líder de Projeto: pode ser uma posição informal de liderança de um grupo de participantes do projeto, (tipicamente agrupados por especialização) assumida por nomeação do GP para um determinado projeto, para pessoas que possuem características de maturidade, liderança e bom relacionamento interpessoal. Muitas vezes na área de TI/Telco são líderes técnicos, Solution Architects, etc.

    Coordenador de Projeto: tem um perfil semelhante ao Líder do Projeto, mas neste caso trata-se de um cargo ou posição hierárquica e formal, em alguns casos responde ao GP em outros não existe um GP nomeado para o projeto, assumindo o Coordenador completa responsabilidade pelo projeto.

    O GP é o GP, todos nós sabemos!

    Abcs.

    Frey.

  8. Bryanne said,

    16/07/2009 at 20:02

    Grande Marcão!!
    Sem esquecermos aqui as famosas nomenclaturas de Adm do Projeto (administrador do projeto), Delivery Manager…A mutação dos aspectos políticos, culturais e estruturais de cada Organização são tão corriqueiras que acaba deixando qualquer plano de cargos no chinelo….
    Ótimo texto! Parabéns!!
    Bry

  9. Luis Rivas said,

    19/02/2010 at 12:37

    Ótimo texto!

    Iniciei minha carreira a princípio na área técnica, em seguida aprofundei meus conhecimentos na área de projetos PMP, hoje atuo como Coordenador de Projetos na área de Automação Industrial e Robótica, as colocações do texto para o cargo foram excelentes.

    Parabéns!

    Luis Rivas

  10. Rodrigo said,

    01/06/2012 at 12:02

    Prezados, foram otimas as colocaçoes do senhores.
    Peço a ajuda para que eu encontre o meu “cargos”. Nao sou gerente de projeto e nem coordeno uma área. Estou a 5 anos em GP e sou ponto focal em alguns temas do projeto, mas dou suporte total ao gerente. Pergunto: eu seria um analista? Senior ou pleno?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: